vitrinismo o que é

Vitrinismo: o que é e por que vale a pena investir nessa área

Sabe aquela loja que você até tenta, mas não consegue não virar o pescoço para dar uma olhadinha na vitrine?

Pois bem. Esse efeito não é por acaso! 

Os donos da loja estão se utilizando de uma ferramenta bem conhecida do marketing: o vitrinismo.

Basicamente, cada vez que você vira o pescoço para espiar a vitrine de uma loja e acaba entrando “só para dar uma olhadinha”, você está comprovando que essa ferramenta dá super certo.

Afinal, a chance de fazer alguma compra é bem maior se você entrar na loja, não é?

Quer saber mais sobre isso? Então, vem com a gente.

O que é vitrinismo?

O vitrinismo é um velho amigo do marketing de vendas – mais especificamente do visual merchandising. 

É uma estratégia já bem conhecida e utilizada por lojistas para atrair o cliente por meio de estímulos visuais.

O vitrinista está por trás da decoração, da iluminação e da organização dos produtos expostos em uma vitrine.

Em uma vitrine atraente, tudo está planejado nos detalhes para atrair o consumidor. 

O objetivo, no entanto, não é só maximizar as compras, e sim conquistar um público-alvo para melhor segmentar o consumidor.

Um bom vitrinista pensa além: já pensa em maneiras de consolidar a marca, por meio da vitrine, e de fidelizar clientes.

Aliás, o vitrinismo é uma tática bem antiga.

Afinal, para vender produtos, eles precisam ser anunciados em algum lugar, certo?

O conceito só foi modificado para se adequar às tendências do momento.

É por meio da vitrine que o cliente faz o primeiro contato visual com a loja – seja com os produtos ou com a marca.

Mais do que uma vitrine agradável aos olhos, precisa ser uma vitrine que convida o cliente a entrar.

Ou que ao menos instigue a curiosidade da pessoa a ponto de ela voltar outro dia para conhecer a loja. 

Em resumo, o vitrinismo é nada mais que uma forma de contar uma história por meio da disposição dos objetos, da iluminação e da decoração da porta da entrada de uma loja – a vitrine.

Basta que o vitrinista e o dono da loja, juntos, decidam qual história querem contar.

Ah! E não basta trabalhar apenas na vitrine. 

O vitrinista também pode atuar na fachada da loja e na entrada, a fim de oferecer uma experiência completa ao consumidor.

Principalmente com a força que ganharam as compras on-line, é preciso mais do que bons preços e qualidade do produto para fazer o cliente sair de casa.

Quais são as atribuições de um vitrinista?

É recomendado que mesmo um pequeno lojista busque o auxílio de um profissional para montar a vitrine.

A elaboração amadora do cartão de visitas de uma loja, feita pelo próprio dono ou por um vendedor mais engajado, pode não trazer prejuízos óbvios, mas certamente não ajuda na construção de uma identidade para a loja.

E, inclusive, especialistas acreditam que uma vitrine bem feita é responsável por quase 70% das vendas das lojas que investem nisso.

Podemos resumir as atribuições desse profissional em dois pontos principais.

O vitrinista precisa ser capaz de montar uma vitrine chamativa a ponto de atrair e encantar os clientes. 

O objetivo, claro, é transformar a olhadinha rápida do cliente em uma compra efetiva.

Além disso, o vitrinista precisa lançar mão de recursos diversos, como paisagens, iluminação, texturas, imagens, cores, cenários e até sensações.

Tenho certeza de que, se você puxar pela memória, vai lembrar de um perfume específico de alguma loja.

Todos esses fatores, combinados, são responsáveis por contar uma história.

E contar essa história é a atribuição principal do vitrinista.

Ou seja, o vitrinista não pode só montar a vitrine conforme as vozes da cabeça dele. 

Não! 

É preciso que o vitrinista saiba aliar estratégias de marketing e de publicidade à estética.

Então, um bom vitrinista precisa ter alguma formação nessa área – seja uma graduação em publicidade, marketing ou moda, ou um curso técnico ou profissionalizante em um desses campos.

Qual é o perfil para trabalhar como vitrinismo?

Além disso, é legal que o profissional realmente se interesse por moda. 

Assim, pode estar sempre ligado às principais tendências de cada estação ou de cada mês, sempre sintonizado com o mercado e com as preferências do consumidor.

Vale lembrar que o vitrinista está antecipando o comportamento do consumidor.

Ou seja, ao escolher roupas específicas para a vitrine, está antenado às preferências dos clientes e ao que está bombando.

Vitrinismo e a relação com as cores

vitrinismo farm

O vitrinismo também funciona aliado ao marketing sensorial.

As cores, por exemplo, influenciam o humor das pessoas.

O vermelho é uma cor que estimula o impulso, a compra. Por isso, é geralmente utilizada em liquidações.

Azul e verde, por outro lado, são cores que tranquilizam. 

Quando bem utilizadas, dão uma sensação de credibilidade à marca ou encantamento.

Já uma vitrine pouco iluminada não tem nenhuma chance de atrair ninguém.

A iluminação realça as cores, destacando os produtos. 

Viu? São vários detalhes!

O vitrinista sabe como fazer o cliente querer comprar. 

A partir daí, é só saber vender. 

Quanto ganha um vitrinista?

Um vitrinista costuma ganhar, de início, cerca de R$ 1,200 mil.

Esse valor pode subir até mais ou menos R$ 3,500 mil. 

As remunerações variam de acordo com a formação e a experiência do profissional. 

Em média, o salário de vitrinista no Brasil é de cerca de R$ 1,700 mil.

Como está o mercado de trabalho para um vitrinista?

O vitrinismo está crescendo no Brasil. 

Há alguns anos, os profissionais interessados na área provavelmente só encontrariam cursos em outros países.

Hoje, é possível encontrar cursos de vitrinismo profissional na Escola Conquistadora.

A profissão, no entanto, embora muito valorizada fora do Brasil, especialmente na Europa, ainda não é tão reconhecida por aqui. 

É um desafio fazer com que os pequenos lojistas percebam a diferença que uma boa vitrine faz nos lucros do final do mês. 

A vitrine merece atenção o ano todo – não só nas datas promocionais, como Dia das Mães ou Dia dos Namorados! 

Inclusive, devem ser trocadas em um período de no máximo 15 dias.

Se a vitrine estiver sempre igual, o cliente pode pensar que não há novidades lá dentro, certo?

É mais provável encontrar emprego na área junto às grandes e médias lojas de departamento. 

O mercado, porém, está em expansão.

Conforme a economia brasileira for retomada, é um nicho que deve ganhar mais força ainda.

O que você precisa saber para exercer a profissão

O vitrinista, que também é chamado de designer de vitrines, pode atuar como autônomo em todos os segmentos do comércio.

Também pode ser contratado como CLT por uma loja. 

Se contratado de maneira autônoma, o profissional receberá por projeto.

Ou seja, projetos mais rentáveis normalmente são aqueles vinculados às datas promocionais.

A remuneração também varia de acordo com a quantidade de horas trabalhadas, então, o salário pode ser bem variável.

Em primeiro lugar, pode ser interessante ter uma conversa com o lojista para entender a identidade da empresa e o que o dono da loja quer comunicar e qual público quer atingir.

Depois, é preciso observar as condições de trabalho – o tamanho do espaço, a posição das vitrines e das luminárias – e a quantidade de manequins e outros cabines de exposição. 

Para conquistar o lojista, é legal passar um tempo com os vendedores na loja, tanto em dias úteis como aos finais de semana. 

Quanto maior a familiaridade com a loja, os produtos e o consumidor alvo, mais fácil ficará o trabalho de captação de clientes. 

Lembre-se: um trabalho bem feito na primeira vez vai causar uma ótima impressão. 

Uma loja precisa atualizar as vitrines constantemente. Então, procure fidelizar os clientes! 

Os cursos de vitrinismo também ajudam nesse relacionamento com os clientes. 

Então, para entrar no mercado, o primeiro passo é se capacitar!

6 exemplos de vitrines incríveis para você se inspirar

1. Topshop

vitrinismo curso

Vitrine da Topshop celebrando a primavera

2. Boah

como trabalhar como vitrinista

Na vitrine da loja Boah, as roupas expostas combinam com a fachada 

3. Farm

Impossível não se sentir na praia com essa entrada da Farm, não é?

4. Zara Home

vitrinista salário

Dá vontade de ter uma sala e um quarto iguaizinhos a esses expostos na vitrine da Zara Home!

 5. Adidas

Vitrine imponente da Adidas que, mesmo sem expor os produtos, deixa clara a mensagem da loja.

6. Schutz

Colorida e divertida. Assim é a vitrine da Schutz, que conversa bem com o consumidor.

Qual a história que a sua vitrine vai contar?

Definir a mensagem que a loja quer passar para os clientes é o ponto de partida de qualquer relação entre lojista e vitrinista. 

No momento em que ambos estiverem apropriados desse storytelling, ou seja, da maneira como essa mensagem vai ser contada aos consumidores, fica possível criar uma estratégia para a vitrine. 

A mensagem pode ser de que a loja é acessível a todos, ou de que é luxuosa e somente para poucos. 

Não importa! 

O que é importa é, por meio das ferramentas do visual merchadising, saber repassar essa mensagem de modo que ela chegue corretamente ao consumidor.

E aí, já sabe qual a história que você vai querer ajudar a contar?

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail e turbinar seus estudos!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.