técnicas de memorização para estudos

Técnicas de memorização: Guia definitivo para estudantes

Se você acha que, para render nos estudos, basta ficar horas e horas debruçado sobre os livros, está enganado(a).

Essa parte é fundamental, claro. 

Ainda não existem pílulas de conhecimento, infelizmente.

Porém, você precisa aprender a estudar antes de qualquer coisa. 

Ler e reler é eficaz, mas existem técnicas de memorização para estudos que facilitam o processo de aprendizado.

E é só a partir da memorização que você conseguirá fixar o conteúdo e aplicá-lo nas provas para as quais estiver se preparando. 

Não conhece nenhuma técnica de memorização?

Não seja por isso. Nesse artigo, apresentamos todas elas para você colocar em prática!

7 técnicas de memorização para estudos

Somos bombardeados com informações a todo o momento. 

Mesmo quando estamos apenas dando aquela bisbilhotada na vida alheia nas redes sociais, deparamos com notícias e dados que acabam se acumulando em nosso cérebro. 

Isso pode acabar prejudicando aquelas pessoas que precisam memorizar assuntos ou matérias para provas e estudos. 

Manter a produtividade, com um cérebro sendo bombardeado por informações a todo instante, é certamente um desafio para quem busca estudar mais e melhor.

Felizmente, existem técnicas que podem ajudar nesse processo de estudo.

Segue lendo! Vamos lhe apresentar algumas. 

1. Resumir 

Faça resumos a mão. Parece umá técnica antiga, mas esse processo de escrita com papel e caneta faz com que o cérebro trabalhe mais.

Ao escrever no computador, o processo é um pouco mais automático, e isso faz com que você não grave as informações com a mesma eficácia.

Importante: não copie. Tente fazer os resumos com base no conteúdo estudado, mas usando as suas palavras. 

Para estudar, leia e releia os resumos. Deixe o material original por perto, caso surjam dúvidas.

Procure fazer descrições detalhadas, não apenas uma listagem de tópicos. As anotações devem ser uma aula para você mesmo, certo?

2. “Ensine” você mesmo

Dizem por aí que quem ensina aprende duas vezes! E é pura verdade.

Uma técnica muito usada por quem estuda é “ensinar” a si mesmo ou a alguém.

Assim, você terá a oportunidade de se questionar e de procurar novas informações, o que vai ajudá-lo a memorizar as informações que já possui.

Ah, caso ache esquisito fazer isso consigo mesmo, procure um amigo que também esteja estudando o assunto ou simplesmente um amigo curioso, que não se importe de aprender sobre o tema. 

3. Grave!

Esse processo é parecido com o de resumir, mas envolve a sua voz.

Você pode estudar e gravar um resumo do que entendeu para, mais tarde ou em outro dia, ouvir as gravações.

Não precisa comprar um gravador, viu? Aquele que está disponível na maioria dos celulares já é suficiente. 

Você também pode gravar o áudio das videoaulas que assiste, caso tenha esse costume.

Além de escutar em momentos de concentração total, durante o estudo, você também pode ouvi-los nos trajetos de carro, no ônibus, enquanto você lava a louça… 

Toda essa repetição ajuda a fixar a matéria.

4. Exercícios!

Essa parte é fundamental. Talvez seja a mais importante de todo o processo de aprendizado.

Você precisa praticar aquilo que aprende. Provas antigas e simulados são ótimos para fixar o conteúdo e, também, é uma maneira de testar o quanto você realmente está assimilando. 

Essa prática vai deixar seu cérebro mais ativo.

Ao estudar provas antigas, já estará mais preparado quando deparar com a prova que realmente for fazer.

Às vezes, conhecer a estrutura da prova faz muita diferença. 

5. Repetição de leitura 

Prepare-se para ler muito. Para memorizar, não basta ler uma vez.

Preste atenção ao que você está lendo.

Passar os olhos não é suficiente.

Se você chegar ao final da página com a impressão de que não entendeu direito, releia

Ler sem compreender o texto é enganar a si mesmo.

Você vai sentir que passou o dia estudando, mas não terá assimilado nada do que leu.

Se achar melhor, leia em voz alta. Há quem prefira! 

Ah! Existe também a técnica da leitura dinâmica

Pode funcionar para você.

Vale reparar, porém, se você está realmente entendendo o conteúdo que está lendo ou se só está preocupado em ganhar tempo. 

6. Crie mapas mentais

Uma das melhores técnicas de memorização para estudos é, sem dúvidas, a criação de mapas mentais.

A técnica envolve outros elementos, como cores e figuras, para exercer o aprendizado. 

Você pode escolher um tema central – por exemplo, contabilidade ou direito tributário – e ramificá-lo por subtemas relacionados.

É uma espécie de diagrama que explica conceitos de forma simples e objetiva. 

Fica mais ou menos assim. 

mapas mentais

Você pode fazer a mão, em papel, ou também criá-los no computador para imprimir e colar em algum lugar que você possa vê-lo. 

É um jeito simples de mostrar como os termos se relacionam.

Também é uma maneira de simplificar temas complexos, criando atalhos mentais para a memória.

Se você acompanha a política brasileira nos últimos anos, deve se lembrar daquele famoso Power Point da operação Lava-Jato que ganhou a mídia, certo? Também é uma espécie de mapa mental. 

7. Cuide de si mesmo

A próxima dica é mais um complemento do que uma outra maneira de exercitar a memória.

Para ter produtividade nos estudos, é fundamental cuidar de si mesmo

Descanse, durma bem, hidrate-se, alimente-se bem e faça exercícios físicos.

Já ouviu a máxima “corpo são, mente sã”, não é? Pois é isso mesmo. 

Outro aspecto relevante para o sucesso dos seus estudos é a constância. 

Estabeleça uma rotina de estudo, organizada e que respeite seus limites. 

Isso vale tanto para aquele estudante que alia trabalho e estudo como para os concurseiros que se dedicam integralmente aos livros. 

Administre seu tempo. E não pire! 

Como funciona a memória?

Para simplificar, vamos dividir a memória em dois tipos: a de longo prazo (memória semântica) e a de curto prazo (memória episódica). 

É possível transformar essas memórias efêmeras em algo de longo prazo. Ou, inclusive, em memórias inesquecíveis

É por isso que existem as técnicas de memorização para estudos. 

Se a memória episódica não é transformada em semântica, você acaba perdendo algumas informações pelo caminho. 

Isso é normal, afinal, somos bombardeados com informações o tempo todo.

Essa perda é um dos estágios da chamada curva do esquecimento.

Esse conceito define o processo de exclusão de memórias feito pelo nosso cérebro.

Se você não utilizar a informação com frequência – ou seja, se você ler o conteúdo apenas uma vez e não voltar a ele -, a tendência é de que, aos poucos, você a esqueça. 

É por isso que você precisa revisar e retomar o conteúdo estudado a partir de técnicas de memorização, a fim de realmente lembrar aquilo que aprendeu e evitar o esquecimento.

Qual é a melhor técnica de memorização?

melhores técnicas de memorização

Muitos consideram a revisão a maneira mais eficaz de gravar o conteúdo. 

A revisão, no entanto, não se resume a reler os textos e os seus resumos. 

Todas as dicas anteriores são parte da revisão. 

É importante que, nesta jornada de estudos, você se conheça

Algumas pessoas preferem escrever para memorizar. Outras sentem que, ao ouvir o conteúdo, acabam gravando com maior facilidade. 

Tente todos os métodos e defina o que melhor se encaixa ao seu perfil. 

Alguns, porém, são unanimidade. Você dificilmente vai conseguir fugir dos resumos, das revisões e dos exercícios. 

Memorizar e decorar? Entenda a diferença

Sabe aquilo que a maioria dos jovens fazem na escola – estudar um dia antes da prova, decorando tudo?

Pois então. 

Desapegue dessa tática.

Se o objetivo do estudo é realmente entender o conteúdo, você não precisa decorá-lo. 

Você precisa memorizá-lo. 

A “decoreba” fará com que você grave uma informação de maneira bastante objetiva, para reproduzi-la automaticamente, sem necessariamente entender realmente o motivo pelo qual está fazendo isso.

Por exemplo, nas provas do colégio ou da EJA, você sabia utilizar quando utilizar uma fórmula de Bhaskara. Mas sabe realmente para quê ela serve?

Se você souber, parabéns. Significa que memorizou. 

Se não souber, sinto muito, mas significa que você apenas decorou o conteúdo para conseguir uma boa nota em física. 

Ao memorizar, você entende o que está lendo e assimila o conteúdo.

Dessa forma, é mais difícil esquecer daquilo que leu. 

Compreender o conteúdo é a parte mais importante do estudo. 

O que são métodos mnemônicos?

Os métodos mnemônicos (que nome difícil, hein!) são ferramentas práticas para ampliar a capacidade de memorização no dia a dia. 

São táticas simples e fáceis, que não exigem treinamento nem malabarismos mentais. 

Atenção: procure não exagerar e não ficar obcecado com os mnemônicos. 

Afinal, é algo mais para você memorizar. Utilize com parcimônia, ok?

A técnica mnemônica utiliza acrônimos, acrósticos, canções, associações e palavras-chave para estimular o cérebro. 

Para as associações, você pode usar partes do corpo, palavras ou figuras

Procure associar o conteúdo a algo presente na sua vida, para facilitar. 

Acrônimos

Os acrônimos são abreviações de nomes de organizações. Por exemplo, a Organização das Nações Unidas vira ONU

Acrósticos

Os acrósticos, por sua vez, são palavras que utilizam a primeira letra como dica para o conteúdo. 

Professores gostam muito dessa tática. 

Por exemplo: SOCIDIVAPLU, que remete ao artigo 1° da Constituição Federal. 

  • SO de soberania
  • CI de cidadania
  • DI de dignidade da pessoa humana
  • VA de valor social do trabalho e da livre iniciativa
  • PLU de pluralismo político

Uma excelente técnica de memorização para concursos, não é mesmo?

Canções

As canções que são compostas com base no conteúdo da matéria estudada são outra técnica mnemônica. 

E ninguém duvida do poder que as músicas têm de grudar na nossa cabeça, não é mesmo?

Palavras-chave

Para os mais criativos, as palavras-chave podem ser uma ótima pedida para memorizar conteúdos. 

Você pode utilizar palavras para criar, a partir de uma imagem visual, conseguir fazer a associação ao conteúdo que quer memorizar. 

O estudo vai muito além da memorização

Se você chegou até aqui, já entendeu que, mais do que despender tempo em leitura, é preciso estudar com qualidade e da maneira mais eficaz possível.

Quanto mais você repetir essas táticas, mais craque ficará nos seus estudos. 

Pode acreditar: sua produtividade vai aumentar!  

Teste os métodos e veja qual se adapta melhor ao seu perfil. Depois, nos conte o resultado! 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail e turbinar seus estudos!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.