mapas mentais

Mapas mentais: O que são, Exemplos e Como fazer o seu

Você já sentiu dificuldades para lembrar as principais informações de uma aula importante ou já teve uma ideia muito boa, mas deixou ela “se perder nos seus pensamentos”

Seria ótimo ter uma forma para organizar essas informações, como uma pasta de arquivos no computador, não é?

Mesmo que nosso cérebro não seja um PC, existe uma técnica de estudo muito interessante para organizar ideias e reforçar o aprendizado chamada Mapas Mentais

Que tal conhecer melhor como fazer mapas mentais e as formas como eles dão praticidade para o seu dia a dia, seja na escola ou no trabalho? 

Nós separamos para você as principais vantagens dos mapas mentais, como fazê-los e até alguns exemplos bem criativos. 

Continue lendo e descubra tudo sobre a técnica!

O que são mapas mentais?

Os mapas mentais (também conhecidos como mind maps, ou mapas da mente) são usados como uma técnica de aprendizagem e organização de informações

O objetivo deles é ajudar na chamada retenção dos conteúdos, ou seja, na sua capacidade de guardar aquelas partes mais importantes de uma aula ou de alguma atividade do trabalho.

A facilidade de memorização oferecida pelos mapas mentais é sustentada pela sua estrutura. 

São utilizados pequenos “blocos” de informação, que se conectam uns aos outros para ajudar na ordenação do que é mais importante.

Além disso, a estrutura é bastante visual, o que oferece uma nova forma de olhar para o mesmo conteúdo que, em muitos casos, está em texto corrido nos livros didáticos e apostilas. 

Na maioria dos mapas mentais, há um tema central, que serve como pilar. 

A partir dele vão surgindo os outros “ramos de informação”, sendo que cada um deles é relacionado com o assunto principal. 

Mas não pense que cada ramo vai conter um monte de informação. 

Geralmente, cada um contém uma ou mais palavras-chave, que se relacionam com o tema e servem como uma espécie de gatilho para que seu cérebro relembre o assunto. 

Nas palavras de Tony Buzan, um dos gurus dos mapas mentais e autor de livros sobre o assunto, os mapas “utilizam as habilidades do cérebro para interpretar palavras, imagens e conceitos lógicos com uma técnica simples”.

o que são mapas mentais

Para que servem os mapas mentais?

Agora que você já sabe o que são os mapas mentais, que tal entender melhor como eles podem te ajudar? 

Como a função é ajudar na lembrança e na organização de informações importantes, os mapas mentais são bem versáteis

Eles são usados pelas pessoas quem desejam:

  1. Organizar as informações mais importantes para seu momento de estudo/trabalho;
  2. Desenvolver técnicas de memorização;
  3. Construir melhor uma ideia, seja para um trabalho escolar ou alguma atividade profissional;
  4. Facilitar a revisão de conteúdos antes de provas, concursos e vestibulares;
  5. Montar e organizar palestras, falas em reuniões, apresentações de trabalhos etc;

Eles podem até mesmo fazer parte da sua rotina em casa e na vida social. 

Tem gente que usa a técnica para estabelecer as prioridades de uso do salário (como pagar contas, ir ao mercado entre outros), organizar as tarefas de uma faxina ou coordenar atividades do dia a dia. 

Você também pode usá-los para te ajudar com eventos sociais, lembranças de datas importantes, recordação de lugares e pessoas (ex: quem é quem na empresa que você presta um serviço) e até para planejar os momentos de lazer, festas e encontros da família. 

7 vantagens de adotar os mapas mentais na sua rotina

Já deu para entender que os mapas mentais oferecem melhorias para sua rotina, não é?

Mas agora vamos nos aprofundar um pouco mais em cada um desses benefícios para que fique bem claro de que forma a técnica impacta sua vida e qual o efeito prático que ela tem. 

1. Organizar informações excessivas

Durante as aulas, é comum que os professores digam o que é mais importante para as provas e os assuntos que costumam cair menos nas avaliações, não é? 

Então o melhor caminho para tirar boas notas é entender e organizar o que é mais importante e aquilo que pode ficar em segundo plano.

O mapa mental te ajuda a identificar o que é mais relevante e permite que você faça a conexão entre esses temas, facilitando todo o entendimento da matéria e permitindo o foco naquilo que realmente importa. 

2. Memorizar elementos

Além da organização das informações, os mapas mentais ajudam a memorizar dados, como datas, fórmulas matemáticas e pontos-chaves de uma disciplina.

Eles são ótimos para reforçar aqueles macetes que os professores passam em sala de aula e ainda permitem que você consiga conectar essas dicas com os principais elementos da matéria que está estudando. 

3. Aumento da produtividade

Se você consegue entender quais são as informações mais importantes e como elas se encaixam e se relaciona, seu tempo de estudo será mais proveitoso. O mesmo acontece se o mapa for usado no trabalho. 

Ao saber quais são as atividades do dia e como ordená-las da melhor forma, você perde menos tempo e consegue dar conta das tarefas sem ficar correndo contra o relógio. 

A organização do mapa mental contribui para a sua agilidade de pensamento, o que é indispensável para ser mais produtivo.  

4. Otimização do tempo

Com as informações mais organizadas e dispostas dentro de um plano de forma lógica, fica muito mais fácil entender o que deve ser feito em cada momento, seja no trabalho ou na hora de estudar.

A clareza que o mapa mental oferece reflete na sua gestão de tempo. Você pode usá-los, inclusive, como uma forma de organização da sua rotina e também para tarefas de casa.

5. Melhoria da concentração

O mapa mental é um guia para o seu raciocínio. Ele te ajuda a manter uma linha de pensamento lógica onde os assuntos se conectam. 

Como resultado, quem usa a técnica consegue se concentrar melhor e identificar como cada parte do mapa se conecta para criar uma sequência de informações coerente. 

6. Detecção de oportunidades

Imagine que você trabalha em uma loja e faz o mapa mental das atividades. 

Ao construí-lo, você percebeu que a pessoa que cuida do estoque não é a mesma que faz a lista de reposição dos produtos. 

Ao mesmo tempo, você notou que hoje a loja precisa de alguém para ficar no caixa no período da tarde, mas a empresa não tem caixa para contratar mais um funcionário.

Ao colocar tudo isso no mapa, fica claro que existe uma oportunidade bem interessante: deslocar a tarefa de pedido de reposição para quem está de olho no estoque (algo que faz muito sentido) e liberar o outro profissional (que faz a lista de compras) para atendimento no caixa.

Os mapas mentais também ajudam a identificar oportunidades como essas, que podem ter impactos diretos na sua rotina e até mesmo contribuir para o seu crescimento profissional e melhoria da empresa onde você trabalha. 

7. Facilidade na produção de textos

Quem já fez prova de redação sabe que ela tem que ser organizada, com argumentos bem distribuídos ao longo do texto. 

Mas nem sempre montar essa estrutura na cabeça e colocá-la em prática é fácil.

Novamente, o mapa mental pode ajudar nessa missão. Como ele serve para organizar e conectar assuntos, você pode usá-los para elaborar textos mais lógicos. 

Isso evita problemas como fuga do tema ou falta de coesão (que acontece quando as informações de um texto não “conversam” muito bem umas com as outras). 

Veja também: Como melhorar a escrita e a leitura

Na verdade, a técnica não fica restrita à redação de provas. 

Ela pode ser usada até mesmo para montar um e-mail com dados importantes para seu chefe ou na hora de escrever uma homenagem para aquela pessoa amada!

como fazer mapas mentais

Passo a passo para fazer um mapa mental

Agora é hora de descobrir como montar um mapa mental. 

Até o momento, você viu como eles te ajudam e para que eles servem. Com base nessas informações, já dá para ter uma noção da estrutura, não é mesmo? 

Mas nós vamos te ajudar ainda mais com um pequeno passo a passo. Confira!

1) Escolha o tema principal

Antes de começar, você precisa saber qual é o tema central do seu mapa. É a partir dele que você vai desdobrar os outros pontos-chave. Identificou? Agora coloque-o no meio da folha em destaque.

2) Pense nos outros elementos relacionados ao tema central

Agora é hora de dar uma estudada na matéria e identificar os principais pontos que se relacionam com ele. 

Vamos usar o exemplo da vinda da família real para o Brasil em 1808 e como esse assunto tem relação direta com a Independência, que acontece 14 anos depois.

  1. Invasão de Portugal pelas tropas francesas (motivo da vinda ao Brasil);
  2. Início da urbanização do Rio de Janeiro (consequência da chegada);
  3. Criação das primeiras faculdades, criação das academias militares e do Banco do Brasil (mudanças socioeconômicas da chegada da corte);
  4. Brasil deixa de ser colônia e passa a ser um reino unido a Portugal (mudança política);
  5. D.João VI volta a Portugal em 1820 (consequência da mudança política);
  6. D. Pedro I se nega a voltar em janeiro de 1822 (início do processo de Independência);
  7. D.Pedro declara a Independência em setembro 1822. 

3) Capriche na parte estética

A lista que mostramos acima não apresenta uma conexão visual com o tema central, concorda? 

Ela apenas ordena cada elemento, mas não aponta as conexões entre eles.

Seu mapa mental não vai ser construído dessa maneira, na verdade, parte do segredo da eficiência dele está no seu visual. 

É hora de despertar o designer gráfico que mora aí dentro!

É preciso colocar o tema central em destaque e usar símbolos e cores para fazer as conexões entre os temas e deixar tudo bem organizado e compreensível. 

Você pode usar setas, pequenos blocos de textos com cores diferentes e qualquer outro recurso que estiver à sua disposição. 

Atenção: seu único cuidado na hora de montar o visual deve ser com a lógica. 

Por exemplo, se você utilizar vermelho para o que é mais importante, então mantenha essa regra e não use a cor para anotar outras coisas. 

O mesmo se aplica a qualquer outro elemento usado no mapa. 

exemplos de mapas mentais
Fonte: Pinterest

4) Deixe seu pensamento fluir

Antes de montar o mapa é preciso estudar um pouco o tema para entender como cada coisa se encaixa, correto? 

Depois desse estudo prévio, desafie sua mente e permita que as ideias fluam. 

Vá anotando cada informação que você lembra em tente encaixá-las no mapa conforme a sua lógica. Isso é importante para ter noção do seu domínio sobre o tema.

5) Faça pelo menos 2 revisões

A primeira revisão do mapa vem logo na sequência da primeira blocagem dos temas, mencionada na dica anterior. 

Após esgotar seu raciocínio, volte aos livros, confira se as conexões e as informações estão corretas ou se é preciso ajustar seu mapa.

Depois dessa primeira revisão, você deve olhar para o mapa mental novamente e se desafiar a entender o assunto e relembrar as informações olhando para ele, sem precisar de consulta ao livro.

Se deu certo, parabéns, seu mapa está no caminho certo. 

Caso ainda haja alguns erros de conexão ou informações fora do lugar, volte aos livros, revise o assunto e repita o processo. 

Quer um atalho? 4 sites e aplicativos para fazer mapas mentais 

Precisa de uma ajuda para começar? Separamos para você uma lista com alguns sites e aplicativos que facilitam a construção dos mapas mentais.

NOMEAPP, Site ou Programa de PC?DestaquesÉ gratuito? 
MindMeisterSite e appMapas colaborativos;

Modelos de mapas para diferentes setores;

Sincronizado na nuvem (você pode começar seu mapa no PC e terminar no app do celular)
Sim, mas a maioria das funções exige pagamento de plano. 
GoConqrSitePermite construção de mapas e outros recursos como quiz e flashcards;

Versão gratuita tem todos os recursos
Sim, mas os planos pagos oferecem mais memória para armazenar mídia e alguns recursos de personalização
MiroSite, app e software em nuvem Muitos recursos visuais;

Permite várias pessoas colaborando com o mapa ao mesmo tempo;

Oferece modelos de mapas e quadros
Sim, mas os principais recursos são pagos e há limite na criação de quadros no plano grátis
MindManagerSoftware em nuvemFocado no universo corporativo;Oferece diversas outras ferramentas colaborativa dentro dos planosNão. 

Todas essas ferramentas podem te ajudar bastante na hora de construir seus mapas mentais e mesmo com algumas limitações nos planos gratuitos, você pode aproveitar os recursos para construir seus mapas de forma prática (e 100% digital). 

E se você está precisando de um pouco de inspiração para começar, confira alguns links com exemplos de mapas mentais:

  1. Mapa para organizar seus conhecimentos sobre uma matéria;
  2. Ideia para organizar os estudos para uma prova importante;
  3. Mapa para construir uma boa redação;
  4. Mapa mental para aprender a cozinhar;

Ajude o seu cérebro a lembrar com mais facilidade

Como você pôde acompanhar, os mapas mentais são excelentes ferramentas para ajudar no seu momento de estudos, sendo capaz de facilitar seu aprendizado, acelerar o seu ritmo, melhorar seu raciocínio lógico e organizar as informações dentro desse grande HD que é o seu cérebro. 

Com eles, até mesmo aqueles assuntos chatos se tornam mais simples e menos tediosos, o que contribui para que suas horas de estudo (ou trabalho) sejam não só mais organizadas, mas também um pouco mais prazerosas.

Fica a nossa dica final: utilize os mapas mentais na sua rotina e sinta a diferença que eles trazem para seu dia a dia!

Não se esqueça de deixar o seu comentário aqui contando como foi a sua experiência.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail e turbinar seus estudos!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.