filmes para estudar a história do brasil

10 melhores filmes para estudar a história do Brasil

Você está estudando a história do Brasil, mas todos aqueles períodos, datas e eventos não fixam na cabeça?

Calma! 

Você não é a única pessoa a passar por isso…

Sabemos o quão complicado pode ser entender todas as épocas históricas do nosso país.

Afinal, são mais de 500 anos de história que, aqui entre nós, são recheados de reviravolta atrás de reviravolta.

E, por tudo isso, é comum, entre diversas pessoas, um certo desânimo na hora de aprender sobre história.

Porém, sabemos também da importância social de conhecer o nosso passado, bem como isso é exigido nos vestibulares.

Então, se você está buscando motivação para estudar, deixe a apostila de lado por algumas horinhas, prepare um ambiente aconchegante e veja esses 10 melhores filmes para estudar a história do Brasil + bônus.

10 melhores filmes para estudar a história do Brasil + Bônus

Para você não se perder, separamos os filmes de forma cronológica, desde o descobrimento do Brasil, até o final da ditadura militar, em 1985, ok?

1. Caramuru, a Invenção do Brasil (2001)

A gente sabe que assistir filmes para estudar história também serve para dar aquela aliviada na carga de estudos.

Por isso, nossa primeira recomendação é a comédia Caramuru, a Invenção do Brasil.

Na história, o jovem pintor português Diogo (Selton Melo) é enganado pela sedutora Isabelle e acaba sendo punido com sua deportação na caravela de Vasco de Athayde (Luís Mello).

Milagrosamente, após o naufrágio do barco, Diogo veio parar em terras brasileiras, no início da descoberta do nosso país.

Aqui, ele vive um triângulo amoroso com as irmãs e nativas Paraguaçu (Camila Pitanga) Moema (Deborah Secco).

Além de ser um filme divertido, você vai encontrar vários acontecimentos e personagens históricos dos primeiros anos da descoberta da nossa terra.

Confira o filme completo no link abaixo

2. A missão (1986)

Agora, falando um pouco mais de drama, nossa segunda indicação é o filme A missão.

Rodrigo Mendonza (Robert De Niro), um mercador de escravos, assassina seu irmão Felipe (Aindan Quinn), por se envolver com Carlotta (Cherie Lunghi), sua amante.

Com peso na consciência e em busca de penitência, Rodrigo se torna padre e se junta a Gabriel (Jereny Irons), um padre jesuíta com boas intenções e em defesa dos índios.

A relação, porém, começa a ser abalada quando interesses econômicos vêm à tona.

Esse filme retrata, de forma dramática, a expulsão dos jesuítas do reino de Portugal devido à crise nas relações entre Coroa Portuguesa e a Companhia de Jesus.

O filme completo pode ser assistido no link abaixo.

3. Carlota Joaquina, Princesa do Brasil (1995)

Agora, deixando os primeiros anos do Brasil, vamos para o Brasil Colônia.

Por isso, nossa terceira indicação é o filme Carlota Joaquina, Princesa do Brasil.

No longa, Yolanda (Ludmila Dayer), uma menina escocesa, ouve de seu tio a história da princesa do Brasil.

E, assim, conhecemos, de forma histórica (e debochada), a vida de Carlota Joaquina (Marieta Severo), a infanta espanhola prometida ao então príncipe de Portugal, Dom João VI (Marco Nanini).

Apesar de ter sido considerado polêmico por diversos historiadores na época, o filme foi um marco na retomada do cinema brasileiro, nos anos 1990.

O longa está disponível no UolPlay e o trailer pode ser visto logo abaixo.

4. Joaquim (2017)

Abrindo nossa sequência de filmes de revoluções e resistência à Coroa Portuguesa no período colonial, temos Joaquim.

O filme conta a história de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes (Júlio Machado), um dentista comum de Minas Gerais que se torna líder da Inconfidência Mineira.

O sonho de Tiradentes e seus apoiadores era ver o Brasil livre do poder Português, porém, seus planos de golpe à coroa são frustrados por um traidor do movimento.

O longa foi um dos selecionados para a mostra competitiva do Festival de Berlim, em 2017, e pode ser assistido no YouTube.

O trailer você confere aqui:

5. Quilombo (1984)

A resistência negra também está na nossa lista, com o filme Quilombo.

Após se rebelarem em um engenho de Pernambuco, um grupo de escravos vão para o Quilombo dos Palmares, lugar de refúgio e resistência de ex-escravos.

Entre os integrantes do grupo, está Ganza Zumba (Tony Tornado), um príncipe africano e futuro líder dos Palmares.

Após anos de liderança, Ganza é confrontado por seu herdeiro e afilhado, Zumbi (Antônio Pompêo) que questiona sua liderança conciliatória e passa a enfrentar o maior exército da história colonial brasileira.

O filme pode ser assistido na íntegra no link abaixo

6. Independência ou Morte (1972)

Quem nunca fez algum trabalho na escola quando criança sobre a independência do Brasil e gritou a famosa frase de Dom Pedro I?

Então, nossa próxima indicação é um clássico: Independência ou Morte.

Na história, vemos a trajetória de vida de Dom Pedro I (Tarcísio Meira), desde sua infância, passando pela fuga e retorno da família real à Portugal, como também sua nomeação como Príncipe Regente.

A trama retrata também a inconsistente relação entre Brasil e o distante reino de Portugal, resultando na proclamação da república.

O relacionamento extraconjugal de Dom Pedro I com a futura Marquesa dos Santos (Glória Menezes), porém, começa a gerar desgaste em seu reinado.

Confira o filme completo no link abaixo.

7. Mauá – O Imperador e o Rei (1999)

Pulando para o segundo reinado, temos o filme Mauá – O Imperador e o Rei.

Irineu de Mauá (Paulo Betti), é um garoto gaúcho, órfão de pai, que muda-se para o Rio de Janeiro com a intenção de trabalhar e descobre sua aptidão para os negócios.

Após ganhar a confiança do escocês Richard Carruthers (Michael Byrne), dono de uma empresa de exportação, Richard treina Mauá e retorna à sua terra natal, deixando a empresa sob seus cuidados.

Em uma viagem à Liverpool, Mauá se encanta com a industrialização da cidade e decide trazer o mesmo para o Brasil, mas interesses da coroa geram conflitos neste início da industrialização brasileira.

Essa é a história do personagem histórico conhecido como Visconde de Mauá e pode ser vista nesse link aqui:

8. Eternamente Pagu (1987)

Agora, vamos para o início do século 20, durante a era Vargas, com o filme Eternamente Pagu.

O longa conta a história da escritora, jornalista e ativista política Patrícia Rehder Galvão, a Pagu (Carla Camurati), apelido dado por seu amigo e poeta Raul Bopp.

Nascida e criada em uma família burguesa e conservadora, Pagu se revolta desde cedo com as hipocrisias dessa classe social, com a exploração dos proletários e com os abusos do governo Vargas.

Sua voz ganha força ao se juntar ao movimento modernista, em 1922, com nomes como Oswald de Andrade (Antonio Fagundes) e Tarsila do Amaral (Esther Góes).

Apesar de apresentar a história dessa figura importante, é interessante observar o pano de fundo do filme que apresenta o clima tenso durante a ditadura do Estado Novo.

O filme completo pode ser assistido abaixo.

9. Batismo de Sangue

E por falar em ditadura, vamos, agora, para um dos momentos mais sombrios da nossa história: a ditadura militar de 1964 a 1985.

E a nossa primeira indicação para entender um recorte desse período é o filme Batismo de Sangue.

O longa é baseado no livro de Frei Betto e conta a história de cinco freis: Tito (Caio Blat), Betto (Daniel de Oliveira), Oswaldo (Ângelo Antônio), Fernando (Léo Quintão) e Ivo (Odilon Esteves), no final do anos 60.

Guiados por seus ideais cristãos, os religiosos passaram a utilizar o convento como uma trincheira ao apoiarem a luta armada do grupo Ação Libertadora Nacional, na luta contra o sistema ditatorial da época.

O Filme está disponível no Prive Vídeo, e o trailer você pode conferir logo abaixo.

10. O ano em que meus pais saíram de férias

E para fechar a nossa lista, um filme do mesmo criador de Castelo Rá-Tim-Bum!: Cao Hamburguer.

“O Ano em que meus pais saíram de férias” se passa durante os anos 70 e conta a história de Mauro, um menino de 12 anos que recebe a notícia de que seus pais foram viajar, sem ele.

O que Mauro não sabe é que, na verdade, por serem de esquerda, seus pais precisaram deixar o país por serem considerados comunistas.

O longa gira em torno das descobertas próprias da idade de Mauro, bem como da constante espera do personagem pelo retorno da ligação de seus pais.

Apesar do tom mais brando, pela história ser contada pela perspectiva do personagem, a trama apresenta o subtexto da separação familiar por conta do sistema ditatorial.

O filme pode ser assistido no YouTube e o trailer você confere a seguir

[BÔNUS] Democracia em Vertigem

Ok, sabemos que Democracia em Vertigem não é ficcional, e sim, um documentário.

Porém, é um material super válido para se entender a política brasileira, desde a reabertura da democracia, em 1985, até o Impeachment de Dilma Rousseff, em 2016.

Apesar da aberta tomada de partido da diretora Petra Costa, o documentário levanta diversas discussões em torno do cenário político da época e que se estende até os dias atuais.

Democracia em Vertigem está disponível na Netflix e o trailer você pode assistir clicando abaixo.

E isso é tudo, amante da sétima arte

Ou melhor, assim como todos esses filmes, esse texto é apenas um recorte.

Apesar de muitas vezes ser massante estudar datas, nomes e eventos que, a princípio, não têm nada a ver com a gente, aprender história é essencial para entendermos o nosso lugar na sociedade.

E como você pôde ver, os recursos audiovisuais podem ajudar (e muito), a tornar o estudo mais interessante e atrativo.

E se você tem interesse em terminar os estudos para aprender ainda mais sobre tudo isso que conversamos neste texto, se inscreva no EJA da conquistadora.

Aproveite e leia:

Como Voltar a Estudar Depois de Tanto Tempo? Guia Completo
4 Histórias de Superação nos Estudos que Vão te Emocionar

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail e turbinar seus estudos!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.