como melhorar em matemática

Como melhorar em matemática: 7 Dicas de ouro para você aplicar agora

Seja amada por uns, ou odiada por outros, a matemática está diretamente presente no nosso cotidiano, desde a arquitetura do nosso lar até no simples troco do pão que compramos na padaria.

Apesar disso, diversas pessoas ainda sentem muita dificuldade com essa área do conhecimento, ainda mais para quem aprendeu matemática de forma tão defasada nos anos escolares.

Se você se sente assim e chegou até aqui, o primeiro passo já foi dado para contornar essa situação e nós vamos te ajudar a entender como melhorar em matemática.

Por que tanta gente tem dificuldade em matemática?

Obviamente, não podemos elencar um fator único para explicar tamanha defasagem no aprendizado de matemática, porém, alguns números nos trazem luz sobre essa questão.

Segundo dados da última avaliação nacional do ensino básico, realizada em 2019, 95% dos estudantes concluíram o ensino médio sem saber realizar operações básicas de matemática, e o advento da pandemia tornou-se mais um agravante.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Secretaria da Educação de São Paulo, com alunos de 5° e 9° ano do Fundamental, e 3ª série do ensino médio, e divulgada em abril de 2021, ao comparar o desempenho em matemática deste ano, com os resultados de 2019, percebeu-se um expressivo regresso de aprendizagem.

A maior discrepância dos dados comparativos está entre os alunos de 5° ano, que tiveram uma queda de 19% em relação aos dois períodos. 

É um indicativo extremamente preocupante, logo que, segundo especialistas, são necessários 11 anos para recuperar tamanha perda.

Além da pandemia, que trouxe enormes desafios a professores e estudantes, outros fatores também explicam esse mal desempenho, tais como o baixo investimento governamental em educação básica, infraestrutura, além de salas superlotadas, em especial em escolas públicas.

Tudo isso, aliado à baixa formação acadêmica do corpo docente e cortes de investimento em educação superior, dificultam o desempenho dos professores em sala de aula e, por consequência, no desenvolvimento do aluno.

Mas, como melhorar em matemática?

São verdadeiras questões estruturais, nem simples, tão pouco rápidas de serem resolvidas. 

Porém, para quem busca suprir as defasagens do ensino básico, algumas dicas, que você verá a seguir, podem ajudar.

7 Dicas para melhorar em matemática

Separamos, agora, algumas práticas que vão te ajudar a melhorar em matemática, se seguidas com empenho.

1) Identifique quais são suas maiores dificuldades

Quando falamos em matemática, não podemos esquecer que é uma área extremamente ampla…

Frações, geometria, álgebra, estatística, matemática financeira… O que não falta é assunto dentro desta área de conhecimento, logo, cada pessoa terá uma dificuldade e necessidade diferente a ser suprida. 

Por isso, identifique quais são os assuntos matemáticos que precisam de uma maior atenção e foque neles.

2) Reserve um horário diário para estudar

Crie um cronograma de estudos.

Mas, calma… não precisa ficar estudando O DIA TODO.

É claro, tudo vai depender das suas necessidades e intenções (se vai prestar alguma prova, por exemplo, é indicada uma maior carga horária de estudos). 

Porém, a constância é sempre melhor que a exaustão!

Se dedicado de 20 a 30 min diários de estudo, já terá um impacto muito grande em seu desenvolvimento e melhoria com o assunto.

O segredo é sempre estar em contato com o tema estudado.

3) Estude sempre com exemplos práticos

Uma das grandes dificuldades que diversas pessoas sentem ao estudar matemática é entender sua utilidade (afinal, quem nunca se perguntou qual a necessidade de aprender a fórmula de bhaskara, não é mesmo?).

E esse é, sem dúvidas, um dos grandes medos de quem não se dá bem com os números.

Porém, quando damos significância para o que estamos estudando, o aprendizado teórico passa a fazer muito mais sentido e se torna mais significativo, o que facilita (e muito) a absorção do conhecimento.

Por isso, ao estudar, sempre procure por atividades e exercícios e simulem situações práticas e reais, bem como, em seu cotidiano, observe o seu redor e identifique contextos aos quais podem ser aplicados seus conhecimentos aprendidos.

4) Reveja seus exercícios e analise o que ainda não compreendeu

Matemática é como exercício físico: quanto mais praticamos, melhor ficamos.

Mas, para ficarmos “craques”, é preciso sempre revisarmos o que ainda não entendemos bem, mesmo estudando.

E calma, isso é muito comum.

Antes de passar para o próximo exercício, ou assunto, entenda completamente o que foi proposto e nunca tenha pressa… 

lembre-se que, apesar de ser como praticar esportes, aprender matemática não é uma competição de quem chega primeiro… vá no seu tempo.

5) Não tenha medo de pedir ajuda!

Afinal, ninguém nasceu sabendo tudo e admitir que não entende sobre algum assunto, ou não está compreendendo o que está se estudando, não há vergonha alguma.

Sempre que “travar” ao tentar entender alguma questão específica, procure ajuda de um professor, aulas de refoço online, ou qualquer pessoa que domine melhor o assunto.

Lembre-se que o primeiro passo para aprender algo, é assumir a falta de domínio sobre aquilo (e está tudo bem).

6) Familiarize-se com os termos matemáticos

Tangente, cosseno, regra de 3, dividendo, números primos, múltiplo comum…

Sim, sabemos o quanto termos matemáticos, como esses, tiram o sono de muita gente.

Porém, são muito comuns de aparecerem em provas, concursos e vestibulares.

Por isso, apesar de confusos (por vezes), conhecê-los é essencial para saber do que se trata quando são citados em algum exercício ou questão.

Nossa dica é fazer um verdadeiro glossário, ou seja, uma lista com o nome de cada termo que você tenha dificuldade, com sua respectiva definição.

Assim, sempre que a dúvida bater, basta consultar suas próprias anotações, o que vai facilitar (e muito) a sua compreensão e fixação.

7) Separe todos os dados fornecidos no problema

Ainda nesse sentido, antes de começar a elaborar e resolver os exercícios, anote, à parte, todos os dados e informações apresentados no enunciado.

Isso é extremamente importante para não cair em “pegadinhas” e elaborar, na cabeça, respostas erradas ou impulsivas. 

Lembre-se sempre que a matemática é lógica e exata.

Ansiedade e bloqueios: psicológico também deve ser trabalhado

Como dissemos algumas vezes aqui, matemática é como esporte e precisa ser praticada diariamente para melhorar sua aptidão.

Porém, mesmo estudando todos os dias, muitas pessoas ainda assim têm grandes entraves na hora de colocá-la em prática, afinal, depois de tanto tempo com verdadeiras dificuldades com os números e de aplicar os conhecimentos teóricos, inseguranças são comuns.

Quem nunca se pegou simplesmente fingindo que estava verificando o dinheiro quando alguém pediu para conferir o troco?

O grande problema, porém, é quando o medo dos números gera ansiedade e bloqueios psicológicos.

Veja também: Crise de ansiedade ao estudar: 14 dicas de como controlar

Mas, para sua surpresa, essa é uma questão psicológica extremamente comum e estudada, chamada de “ansiedade matemática”, geralmente relacionada a traumas ou questões sociais associadas à matemática durante o período escolar.

Ainda não se tem um motivo específico que explique tal desconforto em pessoas que possuem essa doença psicológica.

Estudos indicam, porém, que as causas podem estar associadas ao fato de questões matemáticas possuam uma única resposta (sem margem para interpretações) o que gera certa pressão social.

Se você identificou que, possivelmente, possa estar passando por algo assim, o acompanhamento psicológico é sempre o mais indicado.

Porém, ao manter um ambiente saudável, ao qual se sinta confortável e confiante para falar sobre suas questões, também é um caminho possível para superar tais questões. 

Uma prática também sempre muito benéfica é escrever sobre seus medos e ansiedades em um bloco de notas, ou diário, sem medo de julgamentos. 

Dessa forma, a consciência de suas questões psicológicas são externalizadas e você passa a ter maior controle sobre suas emoções.

Lembre-se sempre que a matemática não é algo a se temer e buscar ajuda nunca é um sinal de fraqueza, mas sim de maturidade, ao reconhecer nossas limitações e buscar melhorar constantemente.

Praticar é sempre o melhor caminho

Sem dúvidas, a matemática pode ser assustadora quando não se tem experiências muito boas com o seu aprendizado, porém, ela também também pode e é uma grande aliada no nosso cotidiano.

Lembre-se das dicas que demos aqui e pratique muito!

Com o tempo, os números serão seus verdadeiros amigos e facilitarão muito sua vida.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail e turbinar seus estudos!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.